WESTWORLD Temporada 02

Cena de "Westworld" Créditos da Imagem: HBO

Cena de “Westworld”
Créditos da Imagem: HBO

Nesta quarta-feira (18/04), tive a ótima oportunidade de acompanhar a cabine de imprensa da première de WESTWORLD Temporada 02. Tenho que dizer que fui para assistir o episódio com altas expectativas, devido à excelente primeira temporada. Devo admitir que fiquei satisfeito com que eu vi.

“Journey into Night”, nome do episódio, segue os acontecimentos da última temporada, logo após a “rebelião” dos androides contra os humanos. Dirigido por Richard J. Lewis e escrito por Lisa Joy e Roberto Platino, o episódio repete a mesma fórmula que funcionou bem na primeira temporada: uma narrativa não linear e várias tramas de diferentes personagens sendo desenvolvidas simultaneamente.

Essas duas características funcionam muito bem, tornando a série dinâmica, além de conseguir prender a atenção do telespectador, e ainda deixa o público curioso para os próximos acontecimentos da temporada.

O episódio de estreia mostra o novo cenário, as novas tensões e desafios que os personagens irão enfrentar.

“O Caos Domina”, slogan dessa temporada, é perfeito para a descrição do cenário: androides rebeldes lutando contra os humanos que tentam colocar a “ordem” de volta ao parque.

Quanto aos personagens, temos alguns arcos que merecem atenção: temos Bernard (Jeffrey Wright) em um enorme conflito interno por ser um androide com características fortemente humanas; Dolores (Evan Rachel Wood) que, depois de se lembrar de tudo que fizeram com ela, decide se vingar; Maeve (Thandie Newton) tem o propósito de recuperar uma androide que fazia papel de sua filha em uma narrativa anterior; o “homem de preto” (Ed Harris) toma conhecimento de um novo jogo.

Gostaria destacar alguns fatores que me chamaram a atenção:

O primeiro deles é a ótima atuação de Evan Rachel Wood e Ed Harris. Todas as cenas em que um deles aparece são ótimas, principalmente Wood, por interpretar de forma excelente a mudança no tom da Dolores (que foi a personagem que mais mudou da primeira temporada para a segunda).

O segundo fator que me impressionou é a construção de cena. Parece que toda cena foi construída de forma a causar o maior impacto dramático possível. O roteiro é o que contribui em grande parte para esse sucesso, e, apesar de algumas falhas, ele nos traz para nós ótimos diálogos, uma narrativa interessante e uma discussão sobre vários temas filosóficos e sociológicos.

Há, porém, algumas coisas que me incomodaram ao longo da exibição. Uma delas é a presença de algumas falas que me pareceram um tanto quanto artificiais e muito didáticas, sem qualquer utilidade. Outra, foi a direção de arte, que, em minha opinião, não teve o capricho que uma série desse porte devia ter. Entretanto, a qualidade da obra, como um todo, faz com que esses “pequenos” erros conseguiam passar despercebidos (ou quase).

Esse primeiro episódio mostra que a segunda temporada tem potencial para tornar Westworld em uma das principais séries da HBO, e, mesmo que WESTWORLD Temporada 02 não apresente nada de novo em questão de forma ou técnica (por enquanto), busca aprofundar e melhorar os aspectos que vimos na primeira temporada.

Apesar de ser apenas o primeiro episódio, podemos esperar muita coisa boa dessa segunda temporada de WESTWORLD.

WESTWORLD Temporada 02 estreia neste domingo, 22 de abril, na HBO.

Para conferir tudo o que a POLTRONA DIGITAL já publicou sobre WESTWORLD, clique aqui!

Sinopse

O caos toma controle do WESTWORLD na segunda temporada da série original HBO, enquanto os androides desenvolvidos para o parque temático encontram sua própria consciência e se rebelam contra seus criadores.

Ficha Técnica

País de Origem: EUA
Ano de Produção: 2018
Gênero: Faroeste, Sci-Fi, Suspense
Censura: 16 anos
Elenco: Anthony Hopkins, Ed Harris, Evan Racgel Wood, Ingrid Bolsø Berdal, James Marsden, Jeffrey Wright, Luke Hemsworth, Angela Sarafyan, Rodrigo Santoro, Shannon Woodward, Sidse Babett Knudsen, Simon Quarterman & Thandie Newton.
Direção: Jonathan Nolan, Ricard J. Lewis, Neil Marshall, Vicenzo Natali, Jonny Campbell, Frederick E. O. Toye, Stephen Williams, Michelle MacLaren & Jonathan Nolan.

Tags:

Gustavo Bispo

Gustavo Meireles é estudante de Geografia no IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia São Paulo). Apaixonado por cultura, fez da música e do cinema hobbies desde pequeno. Estudou música por 4 anos de forma independente, e estudou Roteiro no MIS. Seu projeto de pesquisa na faculdade tem como objetivo fazer a relação de conceitos da Geografia com cinema.

Deixe seu comentário