Vingadores: Guerra Infinita


Cena de "Vingadores: Guerra Infinita" Créditos a Imagem: Marvel

Se existe uma palavra que eu poderia usar para descrever VINGADORES: GUERRA INFINITA é transformação!

Você vê os personagens que acompanhou por mais ou menos dez anos amadurecendo e se redescobrindo após os acontecimentos em Capitão América: Guerra Civil, você vê interações entre personagens que nunca imaginou que haveria e, sim, há muitos personagens, muitos núcleos, muitas side quests, mas, o mais importante, sem sombra de duvida, é Thanos e sua jornada para encontrar as jóias do infinito e cumprir o objetivo que ele se auto designou, baseado em seu ponto de vista para o futuro da população do universo.

Sendo assim, você conhece várias facetas do vilão, desde o radical, o misericordioso, o insano, o honrado, e tudo isso graças à atuação maravilhosa de Josh Brolin, que consegue transmitir muita emoção, mesmo que através da captura de movimentos,  e torna o personagem crível e incrível.

Outros personagens antes não tão explorados ganham um certo destaque no filme e intensificam a vontade do público de vê-los interagindo, como é o caso de Homem Aranha e Doutor Estranho, ou Thor e Rocket Racoon, mas como VINGADORES: GUERRA INFINITA é um filme que passa uma certa urgência, você sabe que muito do que está sendo construído ali seria destruído no mesmo filme, e isso faz com que ele, mesmo que com alguns alívios cômicos e piadas, fique tenso, e você compra cada segundo do desespero no olhar de cada herói antes visto como imponente e com plena noção do que fazer e de como fazer.

Desta vez, chega-se a um ponto que se percebe claramente que a esperança se foi, e que a falha com relação a vencer Thanos faz-se presente.

Sobre os pontos técnicos, a parte de computação gráfica consegue tornar verossímil e crível os cenários, as criaturas e as situações mirabolantes que ocorrem durante o filme, e, ao contrário de Pantera Negra, não peca em cena alguma.

A trilha sonora de Alan Silvestri pontua a tensão, o drama, as locações e a aparição das personagens sendo muito mais útil e melhor encaixada que o anterior, Vingadores: A Era de Ultron e, em certas partes, lembrou, inclusive, como a trilha de O Senhor dos Anéis foi colocada por Howard Shore.

Resumindo, VINGADORES: GUERRA INFINITA é resultado da soma de um universo coeso de 10 anos de existência, uma dupla de diretores e roteiristas super competentes, decisões ousadas e atuações magníficas.

VINGADORES: GUERRA INFINITA estreia HOJE, 26 de abril de 2018.

Sinopse

Em uma jornada cinematográfica sem precedentes que está sendo elaborada há dez anos e abrange todo o Universo Cinematográfico Marvel, VINGADORES: GUERRA INFINITA, da Marvel Studios, leva às telas o maior e mais mortal confronto de todos os tempos. Os Vingadores e seus aliados super heróis devem se dispor a sacrificar tudo em uma tentativa de derrotar o poderoso Thanos antes que seu ataque de devastação e ruína dê um fim ao universo.

Anthony e Joe Russo dirigem o filme, que tem produção Kevin Feige. Louis D’Esposito, Victoria Alonso, Michael Grillo, Trinh Tran, Jon Favreau, James Gunn e Stan Lee realizam a produção executiva. O roteiro é de Christopher Markus & Stephen McFeely. VINGADORES: GUERRA INFINITA estreia nos cinemas brasileiros em 26 de abril de 2018.

Ficha Técnica

Gênero: Ação, Aventura
Classificação: A Ser Definida
Data de Lançamento no Brasil: 26 de abril de 2018
Duração: 12 anos
Direção: Anthony e Joe Russo
Produção: Kevin Feige
Produção Executiva: Louis D’Esposito, Victoria Alonso, Michael Grillo, Trinh Tran, Jon Favreau, James Gunn, Stan Lee
Roteiro: Christopher Markus & Stephen McFeely

Tags:

Caio Gaona

Caio Gaona é baterista, professor de bateria, membro das bandas Triscore e InVida, e idealizador do projeto Geek Batera, em que grava vídeos para o YouTube tocando bateria sobre trilhas sonoras de filmes, séries e animes.

Deixe seu comentário

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com