UMA DOBRA NO TEMPO

Uma Dobra no Tempo
Créditos da Imagem: HarperCollings Brasil

Ganhei o livro UMA DOBRA NO TEMPO na cabine de imprensa do filme homônimo, em março de 2018. Mas só agora consegui lê-lo.

O encanto com o livro já começa antes mesmo de iniciar a leitura. É uma obra em capa dura, com um plano de fundo lindíssimo que lembra uma noite estrelada. E o título do livro é estampado em caixa baixa, o que cria uma sensação agradável ao tatear a capa.

Em UMA DOBRA NO TEMPO, acompanhamos Meg Murray e seu irmão caçula, Charles Wallace, e Calvin O’Keefe, em uma jornada pelos confins do universo. As crianças são guiadas pelas excêntricas senhoras Quequeé, Quem e Qual, entidades cósmicas que ajudam Meg e Charles a encontrar o pai, enquanto lutam contra a Coisa Escura.

Da Terra, as crianças tesseram para Uriel, um lindo planeta repleto de vida exuberante. Mas o que é tesserar? Meg também ficou intrigada quando ouviu a palavra pela primeira vez, dita pela Sra. Quequeé. Sua mãe, entretanto, ficou surpresa. Mas, afinal, o que é tesserar? Tesserar é tomar um atalho pelo espaço-tempo, indo de um ponto a outro do universo imediatamente. Parece simples, né? Mas não é. É preciso muita prática para tesserar corretamente. E foi em uma tentativa de tesserar que o Sr. Murray, pai de Meg, acabou indo parar em Camazots, um planeta muito estranho, cercado pela Coisa Escura.

Foi em Uriel que as crianças viram pela primeira vez a Coisa Escura, uma força maligna que corrompe e destrói planetas.

Depois de uma breve visita à Médium Contente, que mostrou a Meg, Charles e Calvin que a Terra também está cercada pela Coisa Escura, as crianças seguem para Camazots, para uma operação de resgate.

Acostumados à ajuda das Senhoras, agora as crianças terão que lidar com os perigos desse estranho planeta sozinhas, pois a energia negativa dele dificulta que as Senhoras se materializem nele.

Em Camazots, a vida segue em uma sincronia entediante e assustadora. Tudo segue um movimento mecânico previamente programado. Ninguém pode fazer nada diferente. E nesse cenário irreal, o trio de crianças encontra o homem dos olhos vermelhos, que parece ser o responsável pela sincronia absurda no planeta. Mas estão errados. Ele, assim como todos os demais habitantes de Camazots, é só uma marionete d’AQUELE. AQUELE? O que é AQUELE? Essa é a pergunta que intriga as crianças e leva Charles a cometer o erro de se entregar ao homem de olhos vermelhos. Agora o irmãozinho querido de Meg não existe mais. Ele é só um ser perfeitamente sincronizado com o planeta, e a missão de resgate agora envolve dois alvos: o Pai e Charles Wallace.

Não vou prosseguir para não estragar o final para quem ainda vai ler UMA DOBRA NO TEMPO.

É uma leitura leve, e Madeleine L’Engle abusa dos diálogos entre os personagens para explicar os acontecimentos. Isso torna muito mais fácil a compreensão do que está acontecendo com as crianças. As descrições dos planetas e seus habitantes são detalhistas e é fácil se transportar para eles enquanto se lê as linhas de cada página. Eu, particularmente, gostaria de poder visitar Uriel e seus campos verdejantes e montanhas que se elevam muito acima das nuvens.

Mas é claro que UMA DOBRA NO TEMPO não é apenas uma história sobre uma menina e seu irmão tentando encontrar o pai. Existem muitas lições de moral por traz de tudo o que as crianças enfrentam ao longo da história. A importância do amor e que defeitos podem ser bons são alguns exemplos de lições que vemos ao longo do texto.

Eu recomendo que todos leiam UMA DOBRA NO TEMPO. E, assim que conseguir comprar os demais livros da série, lerei e farei as resenhas para a POLTRONA DIGITAL.

Sinopse

Um clássico da fantasia e da ficção científica emerge!

Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar.

“Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim. ”

O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente… Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço.

Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados.

Ficha Técnica

Editora: HarperCollins Brasil
Autora: Madeleine L’Engle
Categoria: Ficção infanto-juvenil
Formato: 14×21 cm
Ano de Lançamento: 2017
Número de Páginas: 240

Tags:

Leonel Andreoli

Leonel Andreoli é formado em Turismo e Hospitalidade pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo - FATEC. É proprietário da Anime Fair Eventos, cujo principal foco são eventos para o público nerd/geek/otaku. Seu principal projeto atualmente é o “Anime Fair Embu”, que ocorre na cidade de Embu das Artes, e vem crescendo exponencialmente a cada edição, mas vem desenvolvendo outros projetos para a cidade de São Paulo em parceria com o Portal POLTRONA DIGITAL.

Deixe seu comentário