IN AETERNUM – JOY DIVISION: a busca afetiva por uma imagem

Créditos da Imagem: Divulgação

Créditos da Imagem: Divulgação

In Aeternum – Joy Division: a busca afetiva por uma imagem é um livro de sensível escrita, mas com um aprofundamento investigativo digno dos maiores jornalistas, que narra a trajetória do grupo musical Joy Division e foi construído com base na relação do experiente autor e fotógrafo Arlindo Gonçalves e sua descoberta da banda inglesa desde o início dos anos 1980 até os dias de hoje.

Como fã e colecionador, Arlindo, além de reunir discos e suvenires, também realizou leitura assídua de tudo o que foi escrito sobre o grupo, revisitou o perfil de algumas personalidades que conviveram com os integrantes da banda e, junto com Luciana Fátima, sua companheira e também fã do Joy Division, fez uma jornada mística à Inglaterra, visitando a fatídica residência onde Ian Curtis pôs fim à própria vida, bem como seu memorial no cemitério da cidade natal do cantor.

Lá, em meditação, pediu permissão para publicar esta biografia afetiva. Assim, na Rua Barton, na cidade de Macclesfield, ecoando por todo canto as músicas do Joy Division, reverberava sua aprovação a esta obra, que é dedicada a Ian Curtis, à banda e a todos os seus fãs.

No decorrer de In Aeternum – Joy Division: a busca afetiva por uma imagem, o autor, unindo suas memórias e pesquisas sobre o Joy Division, apresenta o surgimento da banda, suas tentativas de entrarem no mercado musical, suas derrotas e conquistas. No decorrer dos capítulos, trata da história da escolha do nome do grupo, sua estética musical e a firmeza em seguirem o estilo punk/pós-punk, mesmo sob pressão do produtor. Em paralelo, é inevitável a abordagem da sensível vida de Ian Curtis e seu trágico suicídio.

Durante a produção de Closer, o Joy Division, ao folhear o trabalho do fotógrafo francês Bernard Pierre Wolff, que trazia um ensaio com as esculturas do cemitério Staglieno, da cidade de Gênova, logo decidiu pela estética da capa do disco que, em grande parte, também representava a atmosfera das músicas e da vida de seu líder, Ian Curtis.

O álbum foi lançado após o trágico suicídio do cantor, entretanto, mesmo com todas as críticas recebidas, os integrantes da banda e amigos do compositor resolveram respeitar a escolha original e manter a estética que bem os representava.

Arlindo Gonçalves e Luciana Fátima também percorreram o cemitério Staglieno em busca de uma imagem afetiva e fizeram um belíssimo ensaio fotográfico com centenas de fotos para o acervo de Diálogos com a Cidade. In aeternum vem acompanhado do belíssimo caderno fotográfico, apresentando uma seleção dos autores com as melhores fotografias das esculturas do Staglieno.

Arlindo Gonçalves, escritor e fotógrafo, já publicou mais de dez títulos nos gêneros romance, novela, conto, crônica, diário e fotopoesia. Sua obra é marcada pela memória e afetividade que dão voz, sem ser piegas, aos excluídos e às minorias. Em suas histórias, sem-teto, homossexuais, pobres, negros, doentes, office-boys, professores e amigos compartilham as narrativas de igual para igual com o autor. Essa afeição e alteridade chega a ser tocante neste seu último livro In Aeternum.

In Aeternum – Joy Division: a busca afetiva por uma imagem teve seu lançamento na Livraria Ugra Press, no dia 19 de maio de 2018, mas haverá um novo coquetel com o autor no sebo Clepsidra (Doutor Cesário Mota Junior, 296, São Paulo), no dia 16 de junho, das 16h às 21h.

Ficha Técnica

Título: In aeternum Joy Division: a busca por uma imagem afetiva
Autor: Arlindo Gonçalves
Box composto por: 1 livro 256 páginas e 1 caderno de imagens PB 64 páginas
Editora: Editora Horizonte
Preço: R$100,00 nos eventos de lançamento e R$149,90 no site da editora
ISBN: 978-85-99279-92-2

Fonte: Press Release

Tags:

Poltrona Digital é um portal focado em cinema, literatura, viagens, rock and roll, comida, arte e boas ideias.

Deixe seu comentário